Ocorreu um erro neste gadget

terça-feira, 23 de agosto de 2011

Nada é como antes.


O meu choro não é mais como antes, as palavras não surgem mais como antes, nada é tão claro como era antes, tudo se enegreceu e eu sei que o culpado não sou eu, mas partilho dessa dor, dessa culpa, sem desculpa que outrora nasceu por teu orgulho, por não amar o bastante pra jogar fora o que não era bom, o que não nos fazia bem... De onde veio o meu erro, sucumbi em desespero, ouvi meu coração gritar que eu não era mais o mesmo, abandono meu coração, entrelacei-me na razão que eu não tivera e me acidentei mais. Caminhei por um caminho, o qual eu não era forte o suficiente para seguir, pisei  em espinhos que me impediram de prosseguir, voltei atrás, o que eu nunca fizera, mas por não suportar mais, eu relutei...Agora me diz o porque? Senão por amor, senão por te querer... Sabe meus orgulhos? Eu os abandonei por você... Sabe as facilidades de viver sozinho? Eu não as quis mais, por querer ainda mais... Fiz sacrifícios, inegavelmente eu fiz... E agora convivo com a incapacidade de enxergar o que tu tens a me dar, o que eu mais queria eram os simples aspectos do amar, mas você não alcançou, você não soube me dar, você permuta os meus sentimentos ao se calar, ao guardar pra si o que supostamente me juras em segredo querer me ofertar...
O que me resta é a espera, é não desacreditar que um dia vou receber o que tanto meu coração chora por esperar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário