Ocorreu um erro neste gadget

terça-feira, 26 de abril de 2011

A magia do amor..


O seu coração era firme e conciso por que ele a tinha perto, manifestava-se com alegria porque ela o fazia ser assim, transformava-o em algo repleto de emoções boas e apagava de suas sensações o que não era bom. O seu mundo era único e apaziguador. E todos ao seu redor não conseguiam ver o que só ele enxergava nela, uma maneira única ele possuía de vê-la. Ele temia sua perda e chorava sua ausência, sentia-se ansioso ao perceber o início de um abraço e emocionava-se com o selar de um beijo. Estar com ela passou a ser tua única forma de desejos. Sonhava com tudo o quanto podia criar de bom para agradá-la, era submisso ao sentimento que haverá nascido apesar de já ter vivido em puro tormento. E com o passar do tempo ele só a amava mais a tratava com graça e pra ele ambos eram imortais, aquele amor era teu maior tesouro e o protegia com tua própria vida de tudo ele faria pra não perde-la jamais. Seus sorrisos eram como luz, seu semblante trazia paz, tua fala era a mais mansa e seus olhares eram amenos como o pôr-do-sol visto de um cais. Ele se abastecia de amor e pra tudo o que fazia dedicava a esse sentimento. Ele não queria mais sentir na pele a dor do tormento, saber o que é tristeza ele não queria recordar e muito menos sentir a angústia do que é não sonhar. Em todas as suas noites antes de dormir ele olhava para a foto dela e sorria, sabia que era mais um sonho que ele ia possuir, pra somar com os demais a serem realizados, e como ritual ele abraçava forte um de seus travesseiros para que parecesse que ela estava ali a abraçá-lo e a aquecê-lo. Ele enfim, tinha seu motivo para viver e não pensava mais em partir, só queria a presença de sua amada ali, ao seu lado. Ele não sabia mais o que era chorar por tristeza, seus choros eram de emoção.  Sua alma se esvaia em contentamento. Teus caminhos finalmente tinham ganhado um destino e ele não mais andava em desatino, era esplendoroso ver aquele carinha sorrindo de novo. Ninguém imaginava o quanto ele poderia mudar por alguém e sem medo se entregar a tudo aquilo que notoriamente o fazia bem. Todos pensavam que ele era mais um exemplo de homem grosseiro, altivo e cavernoso. E todos se enganaram, pois ele sabia amar e se entregar a alguém de forma de uma forma desconhecida por mortais ressentidos pelo amor. Uma imagem de menino, transformada pelo amor. Em homem restrito a não mais aceitar uma vida sem valor. De saltos capciosos à pulos de alegria, pois ele, ele sim sentia que naquela história havia um “Ele viveram felizes para sempre.”   

quinta-feira, 21 de abril de 2011

Ela que queria amar. (Edição Especial)

Então foi naquele momento que ela queria sentir, queria amor, queria amar..E nada acontecia, tudo se esvaia em solidão. Nada conseguia passar de abandono e solidão. Em meio ao desespero ela se pegava a chorar, a sofrer, a sonhar, a viver sem amar. Sua auto-incompreensão do destino a levava ao martírio da saudade do inexistente. Sem destino ela vagava com a própria mente. Por caminhos incoerentes e de dor eminente. Descobrir a direção certa do amor ela sempre buscava, mas nunca a encontrava. Vagava só, mas acompanhada da solidão, companhia que não era boa. Com ela só carregava um punhal de dor e um telescópio para avistar o amor. Buscava por todos os cantos, viajava sem sair do lugar, por lugares que você jamais poderá imaginar. E você está ai, desolado por amor, aflito por noticias da felicidade e cercado pela esperança de sentimentos alheios. Numa constante desolação da mente incapaz de compreender o que haverás sente por viver. Choros, clamores, preces e orações... Que partilham do mesmo intuito, desejo, vontade de amar. Tomem uma direção, a minha. A do meu coração. 

Conto do adeus.

Eu me preparava para o banho, queria retirar de mim toda sujeira
que eu haverá trago lá de fora. Foi quando vagarosamente aquele
som surgiu da sala, era o telefone. Não fazia a menor idéia de quem
poderia ser, não costumam ligar a esse horário, já era tarde, mais um
dia estava acabando, foi quando atendi, e uma voz aflita disse que
tinha acontecido um acidente com Laura, minha noiva. Imediatamente
coloquei uma roupa e fui em direção ao hospital, conversei com o médico
que estava a cuidar de Laura, e ele me disse o que não era o que eu queria
escutar, foi o fim.
Andei em direção ao corredor, dentro de mim ecoava um grito de angustia
era o meu coração sendo despedaçado, inconformadamente comecei a
refletir em coisas que eu outrora, jamais tinha parado pra pensar.
 - meu pensamento – “ Como interpretar a perda, numa hora um ser está
com você e outra ele não mais está lá, que loucura é essa, não a como aceitar
se foram com ela meus sonhos, meus planos, Com quem vou dividir aquela
casa de praia que compramos juntos, quem eu vou levar pra jantar em noites
inesperadas, a quem eu deixarei aqueles bilhetes dizendo o quanto eu a amo
e o quanto meu dia vai ser bom, por saber que ao final dele eu vou ser premiado
com a presença dela. Como pode ser assim, me levaram tudo, eu não tenho mais
nem a mim, fui com ela, estou morto, não consigo mais sorrir,  não era pra ser
assim, não foi o combinado, você não tinha o direito de partir, não era a hora,
eu sempre pedi a você que deixasse eu ir primeiro, já não sei mais viver é o fim.”
E foram assim os dias seguintes, teve o intero de Laura, todos estavam lá, até seu
pequeno cão, e tiveram os outros dias, nos quais eu não sorria, dos quais eu não vivia
e fui morrendo cada vez mais, fui egoísta, não fui capaz.  

quarta-feira, 13 de abril de 2011

O beijo encantador..

Caminhei a minha vida inteira a procurar por um beijo perfeito. Por um lábio desconhecido que ao tocar nos meus me elevassem aos céus. Beijo esse tão sublime quanto as nuvens de algodão doce da minha infância, capaz de acalmar e enlouquecer o meu corpo. O beijo perfeito eu esperava encontrar e pra saber que o finalmente tinha o achado contava com as sensações que ele poderá me despertar. Que me acendesse uma fagulha na alma e fizesse meu coração disparar de emoção. E que não só despertasse as mais de duzentas sensações de um beijo comum, que fosse superior a milhares de sensações desconhecidas e graciosas. É difícil para alguns acreditar que apenas um beijo pode esse estardalhaço na alma causar, mas peço-lhes que acreditem um beijo de amor soluciona toda uma vida de descontentamentos e dor. Outrora você vive cercado por inconsistentes relações onde teu beijo não passavam de dois lábios a se envolver. Agora depois de te encontrar "o beijo encantador" você me cercou de amor e eu não mais sinto dor. Teu beijo me aquece, só ele me enobrece, caminho sobre as águas do mar da alegria com teu beijar. Hoje estonteado da doçura do teu beijar, declaro-me viciado no mesmo. Vicio esse, que sou incapacitado de largar.

terça-feira, 12 de abril de 2011

Eu pertenço a você, só a você.

   Vim pra contar de nós, tornar publico o meu fascínio por você. Deixar mais que transparente a involuntariedade dos meus belos sentimentos por você, priorizando a beleza do teu olhar e valorizando o profundo conforto do teu abraço. E evidenciando a doçura do que sinto por ti, mas antes que eu comece a dizer todas essas circunstâncias é preciso que vocês saibam que nada aqui haverá sido preparado, ou até mesmo esperado; Aconteceu e agora convivo com todo esse deslumbramento e fulgor no meu coração.
    No início existia uma constante batalha entre corações, dois específicos corações. Onde um era totalmente covarde e petrificado, amargurado com o seu passado espezinhava, nos muitos corações que cruzavam sua realidade dura e hostil. Enquanto do lado ameno da guerra existia leves e repetidas batidas de um coração valoroso e manso, que por mais que insatisfeito estava com sua situação, ainda era capaz de dedicar amor e se render a ele. Foi então, quando o coração hostil sobreveio ao manso e premeditadamente ele o tomou pra si, e foi daí que tudo nasceu. O nosso amor surgiu da diferença de realidades e se enraizou sem que precisasse de falsas verdades. Aquele coração que não sabia amar foi se rendendo aos encantos do que predestinadamente era teu amor e não precisou que se passasse muito tempo para que um ao outro, começassem a jurar amor. Então, em vez de uma guerra, travou-se apenas uma aliança de paixão, carinho, verdade, respeito, amor... E nela não haverá feridos, sim cura, para aquele ferido coração que outrora não era capaz de amar e agora só continua a bater pelo teu amor.
 Hoje este coração vive repleto de prazer, prazer em estar vivo, prazer em amar, prazer em te dar amor (coração manso), prazer em sorrir, prazer te contemplar o milagre que é te amar e este pobre coração ora, pede, implora pra que está aliança jamais se quebre e nem deixe de existir, pois a dor que ele teme é tal forte que será capaz de fazê-lo partir.
      (Declaração do escritor: Eu te amei do primeiro momento até o nosso presente e pretendo te amar no futuro, não vejo fim para nós e não tenho motivos para querer enxergá-lo. Você comprime o meu coração de sentimentos bons e desconhecidos, espero eu ser capaz de fazer isto contigo, não à realização maior para mim que viver to deu lado e presentear-te com o meu amor, sendo pra ti paz e calor. Eu te amo, meu
único e verdadeiro amor.)

Você não está lá...

Mais um dia eu levanto, e observo o outro lado da cama, todo arrumado percebo que ninguém havia dormido ali, é realmente a dura realidade, ninguém dormiu, mas uma noite percebo que estive só você não estava lá, eu senti frio e os cobertores não foram capazes de suprir, eu senti medo e a solidão o aumentou como eu queria sua presença ali, todas as noites seriam mais completas, mais bonitas, e bem mais proveitosas com você ao meu lado, todos os sonhos seriam muito mais bonitos, porque eu sim teria possibilidades de realizá-los, todas as palavras seriam mais reais, pois sairiam dos papeis e fariam parte do nosso cotidiano, cotidiano esse que tem sinto cada dia mais triste sem você presente nele, por mais que não saia dos meus pensamentos nem um minuto sequer, é explicita a falta que você me faz, fico perplexo como o destino tem sido nosso inimigo, de uns tempos pra cá, como a felicidade tem estado e não estado jogando ao nosso favor, de uns tempos para cá, como os imprevisto tem encontrado nossos endereços, apesar de todas essas coisas eu te faço juras de amor, sem medo de arrepender-me depois, sem nenhuma duvida do que eu quero com você, muito já tenho pelos meus pensamentos, no meu coração e na minha alma, digo muito, muito de você.

sexta-feira, 8 de abril de 2011

Sabe quando..

Sabe quando o tempo parece estar parado? Só acontece quando a distância entre-nos, sabe quando os olhos já não se fecham mais? Isso acontece nos momentos onde você está a minha frente e eu não consigo parar de ti olhar, sabe quando sobe aquele arrepio quando estou escrevendo para você? É porque te sinto muito perto, quando estou usando minhas palavras para te contar sobre o meu amor, sabe quando a lagrima não para de cair? Nas vezes em que tive e que tenho que ver-te partir, sabe o numero de madrugadas nas quais eu não dormir por estar escrevendo para você?  Não, nem eu mesmo sei, foram tantas que não pude contar.
sabe o quantas vezes eu sorrir ao observar uma foto sua? Em simplesmente todas às vezes na qual eu olhei uma foto sua, sabe por que muitas vezes eu luto para não acordar dos meus sonhos? Porque é neles onde eu encontro você, e La parece que nunca vamos nos separar, sabe o numero de vezes que já disse que te amava? Não, ninguém sabe já disse que te amava até quando você não podia escutar.
Porque em tudo que eu faço eu quero um pouco de você presente. Nas poucas coisas que já fizemos juntos, nos poucos lugares que já nos encontramos, nas poucas conversas que já tivemos foi tudo melhor do que eu poderia imaginar. Todos os dias que não tenho você junto a mim, eu sinto como se o dia tivesse sido incompleto, eu poucas vezes já completei  vinte quatro horas perfeitas, só aconteceu isso nos dias em,  que eu pude estar com você, eu poucas vezes dormi sossegado, só cheguei a essa tranqüilidade quando passei o dia contigo ..
Muitas manhãs foram bonitas, todas nas quais eu acordei lembrando do lindo sonho que tive com você, onde nele você era minha e eu era seu, sem cobranças, sem impedimentos, sem tristezas, sem imperfeições que pudessem nos separar .
Eu termino cada um dos meus dias com um pedido, este é de ter você no dia seguinte, não seria o mesmo se você me faltasse.  Seria capaz de caminhar do ocidente ao oriente se fosse preciso para te encontrar, faria isso mesmo que fosse a ultima coisa que eu fizesse na vida
posso estar sendo egoísta com os demais, mas porque não ser egoísta quando se trata da minha felicidade, eu sinceramente morreria feliz, se minutos antes eu tivesse tido momentos inesquecíveis contigo, eu não preciso de todo amor do mundo, apenas do seu aquele que me cerca de carinho, me envolve de calor, e me aquece no frio, me interpreta na angústia, se alegra na minha felicidade, me capacita nas minhas incapacidades.
Em você descubro cada vez mais o tradução do que é amar.
Ter você, todos os dias eu me julgo menos capaz ainda, mas ter você é tudo que eu mais preciso para me capacitar, ter você e tudo que na vida tem e me motiva a viver.

sábado, 2 de abril de 2011

Eu não a conheço, mas não a esqueço..

Eu não tenho sono, já faz algum tempo que meus olhos só se fecham no extremo cansaço do meu corpo físico, já faz algum tempo, que meus reais motivos pra existir se vincularam ao meu real desejo de ter você, já não penso em outra coisa que não seja seus abraços, beijos e disseres. Depois de algum tempo, vai ficando insuportável viver sem você, muitas vezes, eu já pensei em sair a sua procura, outras dezenas de vezes eu me misturei a multidão na tentativa de te visualizar, como se você fosse a luz em meio a escuridão, mas como reconhecer o desconhecido, já gritei por você, sem nem mesmo saber seu nome. Não me pergunte de onde tirei forças para cometer todas esses ações desesperadas pra te encontrar, pra que você me encontrasse, -não me questione- sou incapaz de responder-te. Sinto como se fosse eu um ser incompleto, um que vive, respira e falar sem ter um coração batendo no peito, um que caminha sem ter a noção lógica do que é direção, faz tempo que viajo sem destino, não sei como sempre consigo voltar a minha casa, -acho que a esperança de que um dia você virá ao meu encontro, sempre me trás de volta-. Seria eu injusto, se dissesse a você que sou infeliz, pois estaria mentindo, minha carne dezenas de vezes se satisfez, mas não posso deixar de contar-lhe que foram apenas momentos de prazeres notoriamente vividos e facilmente esquecidos, acontecem e ficam pra trás, como se nem mesmo tivessem ocorrido, e a cada vez que um momento carnal como esse ocorre, eu volto ao que realmente me motiva. Volto a busca de encontrar você, -ter-te- é o que mais tem me cativado, -ser-te- é o que mais me importa, -sentir-te- é o que mais tenho desejado e –tocar-te- veio a ser a principal sede da minha alma. Fico comovido a cada pensamento meu que dentro dele encontro pequenos fragmentos que me direcionam a lembrar você, o que torna tudo isso a mim enlouquecedor é não saber onde tu habitas linda e formosa dona de todo meu amor.