Ocorreu um erro neste gadget

terça-feira, 12 de abril de 2011

Eu pertenço a você, só a você.

   Vim pra contar de nós, tornar publico o meu fascínio por você. Deixar mais que transparente a involuntariedade dos meus belos sentimentos por você, priorizando a beleza do teu olhar e valorizando o profundo conforto do teu abraço. E evidenciando a doçura do que sinto por ti, mas antes que eu comece a dizer todas essas circunstâncias é preciso que vocês saibam que nada aqui haverá sido preparado, ou até mesmo esperado; Aconteceu e agora convivo com todo esse deslumbramento e fulgor no meu coração.
    No início existia uma constante batalha entre corações, dois específicos corações. Onde um era totalmente covarde e petrificado, amargurado com o seu passado espezinhava, nos muitos corações que cruzavam sua realidade dura e hostil. Enquanto do lado ameno da guerra existia leves e repetidas batidas de um coração valoroso e manso, que por mais que insatisfeito estava com sua situação, ainda era capaz de dedicar amor e se render a ele. Foi então, quando o coração hostil sobreveio ao manso e premeditadamente ele o tomou pra si, e foi daí que tudo nasceu. O nosso amor surgiu da diferença de realidades e se enraizou sem que precisasse de falsas verdades. Aquele coração que não sabia amar foi se rendendo aos encantos do que predestinadamente era teu amor e não precisou que se passasse muito tempo para que um ao outro, começassem a jurar amor. Então, em vez de uma guerra, travou-se apenas uma aliança de paixão, carinho, verdade, respeito, amor... E nela não haverá feridos, sim cura, para aquele ferido coração que outrora não era capaz de amar e agora só continua a bater pelo teu amor.
 Hoje este coração vive repleto de prazer, prazer em estar vivo, prazer em amar, prazer em te dar amor (coração manso), prazer em sorrir, prazer te contemplar o milagre que é te amar e este pobre coração ora, pede, implora pra que está aliança jamais se quebre e nem deixe de existir, pois a dor que ele teme é tal forte que será capaz de fazê-lo partir.
      (Declaração do escritor: Eu te amei do primeiro momento até o nosso presente e pretendo te amar no futuro, não vejo fim para nós e não tenho motivos para querer enxergá-lo. Você comprime o meu coração de sentimentos bons e desconhecidos, espero eu ser capaz de fazer isto contigo, não à realização maior para mim que viver to deu lado e presentear-te com o meu amor, sendo pra ti paz e calor. Eu te amo, meu
único e verdadeiro amor.)

Nenhum comentário:

Postar um comentário