Ocorreu um erro neste gadget

sábado, 23 de outubro de 2010

Seu labor.

O seu labor, - AH O SEU LABOR! – me da gosto ver passar, me da gosto ver você .. e quando começa a sambar eu não paro de dizer por meio do olhar o que eu seria se tivesse você, pode ser mentira o meu falar, mas não vai te fazer sofrer, você nem sonha com o que penso de você. Se mal é confiar em mim e achar que eu não faço sofrer,  eu te mostro um ser, você denota e enxerga outro corpo, outra alma, outro fogo. Só não me deixe saber, que eu posso te ter, por que se eu souber, não vou resistir a você, você já não resiste a mim, imagine se eu souber, isso pode acabar, eu não vou deixar, eu não quero que acabe, eu não quero saber dessa história de não ter, não ter o que hoje você desperta em mim, eu preciso disso aqui, vivendo, correndo nas minhas veias, é preciso. Então voltemos a falar de você, a falar em como sonho te ter, hoje você vai caminhar pra mim?! Hoje é dia de você correr, logo é dia deu observar, não consigo deixar de olhar. Veja essa passada de pernas eu viajo só de pensar, no prazer que vem do olhar, como seria no tocar, é difícil eu não viajar, é mais forte que eu, é descontrolante, olha esse seu olhar, não consigo não notar, quanto mais não te querer do lado de cá, e quando você dirige a mim o seu falar, e fico a bambear tentando acompanhar o movimento do seu falar, sua boca, - AH SUA BOCA! – como eu queria poder beijar, seria como o falsete do samba e o encanto da valsa. Te desejar, me faz um mal tão bom, é que complexo de se colocar, não sei como evidenciar, eu sinceramente prefiro continuar a desejar, a te querer e a não te amar, torna tudo real e mais fácil pra mim, pequeno mortal.
Permanecer assim, no anonimato de querendo e desejando o bem, te protegendo como um amigo de logo, um pequeno socorro presente no escuro, que sejam desconhecidos esses fortes desejos e que jamais eu tenha seu beijo. Eu não quero enlouquecer, corro riscos, os quais são paixão, amor e dependência, esses são os que não quero ter, esses são os atrativos ruins, que tiram a graça do jogo. Te ganhar, te ter e não saber se vou ter de novo.  E te negando tanto te quero o mesmo tanto.

                                                                                                                                 Carlos henrique.

Nenhum comentário:

Postar um comentário